Assine o Cidade Bike no Youtube!
Mobilidade urbana

Entenda o motivo de alguns ciclistas pedalarem no meio da faixa

bicicleta-meio-fio

À primeira vista pode parecer incoerente, como é para a maioria, mas o ciclista não deve pedalar próximo ao meio-fio por uma questão de segurança. Convencer algumas pessoas disso pode ser tão difícil quanto soletrar “paralelepípedos” sem titubear. Afinal de contas, deixar mais espaço para os carros trafegarem é o que parece mais lógico e seguro. Mas não funciona assim na prática. Não demora muito para um ciclista urbano entender que é justamente por uma questão de segurança que ele deve ocupar mais a faixa, por ali mesmo, sem receio.

Pedalando próximo à calçada, o ciclista transmite uma mensagem para que o motorista arrisque uma ultrapassagem, mesmo se as condições não forem totalmente confortáveis. Por isso, o caso mais corriqueiro nesse tipo de situação é o condutor do automóvel desrespeitar a distância exigida por lei, que estabelece que ele ultrapasse com uma reserva mínima de 1,5 metro. O motorista se sente “pressionado” a avançar imediatamente, na primeira oportunidade aparentemente clara. Além dessa situação, o ciclista que pedala próximo ao meio-fio diminui suas possibilidades de escape numa situação de perigo. Sem contar que, quando somamos pressa do motorista com as condições asfálticas de muitas vias de João Pessoa, podemos ter como resultado manobras irresponsáveis.

Portanto, o lugar mais seguro não é pertinho do meio-fio, como muita gente pensa e prega. É bem verdade que algumas circunstâncias exigem a nossa aproximação da calçada, mas a posição mais afastada deve ser retomada logo que possível. Ciclista que se resguarda deve considerar o meio-fio como o limite de um penhasco. Não há nenhum impedimento legal no Código de Trânsito Brasileiro que obrigue o ciclista a descumprir essa dica. Ciclistas mais experientes dizem que é importante ocupar pelo menos um terço da faixa, seja a faixa da direita ou a da esquerda, já que a bicicleta pode ocupar ambas. 

Mesmo que ainda existam motoristas que não compreendam isso – por isso que há parte do desrespeito – em primeiro lugar está a integridade física do ciclista, do ser humano. Para tentar mudar esse quadro, os ciclistas devem sempre procurar agir de maneira cordial e respeitosa no trânsito, tendo a sensibilidade de perceber que bicicleta não atrapalha a fluidez do tráfego, muito pelo contrário, contribui para uma cidade mais livre de engarrafamentos.

Fazendo nossa parte, João Pessoa será uma cidade melhor e mais segura para as pessoas.

1 Comentário

1 Comentário

  1. Tiago Castelo

    18 de fevereiro de 2016 at 13:40

    Tenho maior esperança que as vezes que eu faço o circuito casa-universidade ou outro qualquer, os motoristas que estão no engarrafamento me observem e notem as diferenças. sobre o lugar do ciclista na rua, me surpreendi muito quando cheguei em joão pessoa e vi que os ônibus são os que mais desrespeitam, quando, na minha cidade, são eles os que mais respeitam e os motoristas de transporte particular é que mais cometem infrações com os ciclistas. nunca antes precisei ocupar a faixa central a não ser quando cheguei aqui em joão pessoa. a coisa flui bem mais porque há certa empatia com os outros transportes de duas rodas, que são as motos, mas ainda assim sinto muita falta dos meus míseros 1,5m que não são respeitados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas publicações

Somos um coletivo de pessoas que usa a bicicleta como meio de transporte em João Pessoa e que sonha com uma cidade mais ciclável.

Outras publicações

Acompanhe-nos no Facebook

Copyright © 2016 - Cidade Bike. Todos os direitos reservados.

To Top